Buscar
  • Luiza Cozer

A luta contra o luto

A morte daqueles que amamos é uma das marcas mais importantes que vivemos em nossas vidas. O luto é o profundo pesar que sentimos quando passamos por uma perda assim. É um sentimento de dor, de angustia tão intensa, que não temos controle sobre ele. O luto vem em seu próprio tempo e a sua própria maneira para cada um de nós, e como você vai lidar com isso é único e exclusivo seu.

Mas é importante lembrar que o luto não se restringe apenas à presença da perda pela morte de alguém, também está presente em cada privação que passamos, nos rompimentos de relacionamentos, no fim de uma amizade, na mudança de uma cidade ou país. Ou seja, o luto é um sentimento que podemos conceber como um mecanismo da psique humana e por isso, mesmo que cada um de nós tenhamos nossas próprias maneiras de lidar com ele, todos passamos por cinco estágios durante o processo de recuperação: Negação, Raiva, Barganha, Depressão e Aceitação.

A negação é a primeira fase e surge quando nos deparamos com a perda. É nessa fase que dizemos para nós mesmos que isso não poderia acontecer, que não é verdade. É uma defesa que nossa mente cria frente ao trauma. É muito comum que as pessoas que estejam nessa fase nem queiram falar sobre a perda.

A raiva aparece quando nossa mente percebe que negar não vai adiantar nada e que não há nada que possamos fazer para mudar o que aconteceu. As pessoas quando entram nessa fase se revoltam com o mundo, sentem de forma aversiva as palavras de conforto e as tentativas de ajuda. Se perguntam o “por que comigo?”, ou “o que eu fiz para merecer isso?” e geralmente acabam endereçando a raiva para alguém ou algum objeto específico.

A barganha é a terceira fase do luto. As pessoas começam a aceitar a perda, porém tentam de toda forma negociar para tentar desfazer o que aconteceu. Geralmente é uma negociação com Deus, ou suas crenças, onde propõe um sacrifício ou total obediência caso seu pedido seja aceito.

A depressão surge quando as pessoas percebem que nada que elas façam vai adiantar. Não há como voltar no tempo, nem reverter a perda, ela é inevitável e incontrolável. Elas se retiram para seu mundo interno, se isolam, ficam melancólicas, pois é nessa fase que aparece o vazio deixado pela pessoa perdida.

A aceitação é a fase onde as pessoas conseguem preencher o vazio deixado pela perda. Elas aceitam a perda com paz e serenidade, sendo capazes de encarar a realidade e seguir suas vidas normalmente.

A pior parte do luto, é que não se pode controlá-lo. O melhor que podemos fazer é tentar nos permitir senti-lo, quando ele vem. Sabemos que a passagem da fase de depressão para a fase de aceitação é onde as pessoas encontram mais dificuldade para realizar. Algumas pessoas ficam décadas para conseguir fazer essa transição. É normal cada um ter a sua maneira de lidar com o luto e cada tipo de luto tem uma resposta diferente.

Na terapia as pessoas enlutadas tem um lugar onde podem encontrar ajuda para ressignificar a perda, aprender a lidar com ela e passar pelo luto de uma forma mais saudável.


Autora: Luiza Cozer - Psicóloga CRP: 08/23627

Espaço Notre

(41)99697-0117 / (41)99997-1395

©2019 by Espaço Notre. Proudly created with Wix.com